sexta-feira, 3 de novembro de 2017

de Julião Quintinha (1886-1968)

2. «O Pató»: «Pató!...», Vizinhos do Mar (1921).
1. «Palhaços»:  «Como vieste dar aqui, Tonica?!» Cavalgada do Sonho (1924).

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

de Rebelo da Silva (1822-1871)

3. «Última corrida de touros em Salvaterra»: «O sr. D. José, primeiro do nome, era em Salvaterra um rei em férias.» Ibid.
2. «A camisa do noivado»_ Houve tempo em que o monte hoje esquecido de Algouço, na província de Trás-os-Montes, erguia a cabeça soberba acima dos outros lugares.» Ibidem.
1. «O castelo de Almourol»: «-- Ai, Virgem Santíssima.» Contos e Lendas (1860). 

domingo, 22 de outubro de 2017

de Altino do Tojal (1939)

1. «Noite de consoada: «Eu sentia-me vagamente cão.» [Os Putos, 1973 /  antologia:Gloria in Excelsis -- Histórias Portuguesas de Natal, edição de Vasco Graça Moura, 2003]

sábado, 7 de outubro de 2017

de Alexandre O'Neill (1924-1986)

1. «Exercícios de auto-apoucamento (com vista ao próximo Natal). «A ideia de há muito que o andava a desassossegar.»  [Uma Coisa em Forma de Assim (1980) / antologia:Gloria in Excelsis -- Histórias Portuguesas de Natal, edição de Vasco Graça Moura, 2003]. 

terça-feira, 26 de setembro de 2017

de José Saramago (1922-2010)

1. «História de um muro branco e de uma neve preta»: «Não haveria nada mais fácil no mundo das histórias que escrever um conto de Natal com Menino Jesus ou sem ele, se não fosse dar-se o caso de que uma criança que nasce está sempre nascendo Gloria in Excelsis -- Histórias Portuguesas de Natal, edição de Vasco Graça Moura, 2003.